top of page
20220127_093220875_edited.jpg
Simbolo-Branco.png

  BLOG AVE VENUS 

Uma coisa é uma coisa...

... outra coisa é outra coisa. Será que estamos de acordo quanto a isso? Vamos ver.

 

Estou retomando um trabalho de meditação e arte feito para mulheres, que é o Jantar das Venus, porém, estive distante das vivências direcionadas só pra mulheres por um motivo, siga o fio.

 

Enquanto homens levantarem monumentos fálicos e mulheres enaltecerem conchas, nos resumiremos ao “poder” dos genitais, e seguiremos desde o passado ao futuro, separados pela representatividade social que criamos a partir das “nossas” pélvis.

 

Aí entra a diferença de uma coisa com a outra coisa: um ponto é a questão social, cultural e estrutural que leva as mulheres a defenderem lugares de poder na sociedade, e é inegável de o quanto um mundo feito sobre falos, torres, arranha céus, pronomes masculinos, punhos e guerras, é doente e cruel.

 

Porém, lutas socias hão de existir enquanto estivermos separados, e o que nos separa é o jogo que determina cartas, não a Verdade.



Novela Guerra dos Sexos (1983)


 

Perceba que não menciono “verdades”, mas Verdade. Aquela que sussurra que você não é quem pensa ser, mas que você está distraído demais diante do reflexo do espelho para ouvir.

 

Quem nunca brincou de mudar de nome, de mudar de forma ou de ver o mundo com outros olhos? Se você acha que isso é só brincadeira de criança, é porque se adulterou demais e talvez nem tenha mais volta. A volta pra casa, quero dizer, pra Verdadeira Casa.

 

A Casa número Zero, a casa sem nome, sem sexo, sem idade, profissão, ideologia alguma. Essa, essa casa que independe de credo, cultura e história do que você chama de vida.

 

Na tal da sociedade é onde a brincadeira acontece. Essa dita humanidade não é nada séria. Não poderia! Ela é desconexa, separatista e triste. Uma hora os fálicos vivem sob teto de ouro, outra hora as conchas serão rainhas! E nada, nada fará esse jogo parar, não enquanto acreditarmos que ele é a Verdade.

 

Porém, o Jantar das Venus precisa acontecer porque eu quero brincar!

Mulheres estão convocadas para este encontro especial, para perceberem que sim, suas conchas são poderosas, que sim, suas tetas são divinas, mas que não, nada disso é a Verdade que só o Silêncio revela, mas que fazem parte do jogo social, que ganhamos um dado para jogar desde o momento em que nascemos.

 

E se, você Mulher, sentir um chamado pra fazer parte deste jantar, te convido a entrar no grupo temporário https://chat.whatsapp.com/JvKLM2ixGk3GddMkli9sdz onde chamadas serão feitas e presentes ofertados até o grande dia, cuja data será revelada em primeira mão, neste grupo, na semana que vem.

 

Chega mais! Te espero por lá. ◘


 

Post por Lina Molina:

Lina Molina

Co-fundadora do ashram cultural Ave Venus, provocadora da vivência PsicoDetox e Rodas de Mulheres, instrutora de Yoga, cozinheira e organizadora dos Retiros,

47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Retrato de um casamento {7}

Aquele ambiente underground era tudo o que a contracultura daquele momento pintava como um bom jeito de se viver: cabelo ensebado, com um ar de não tô nem aí, calça jeans surrada e corpos ossudos proj

Retrato de um casamento {6}

Every Breath You Take foi a música que marcou o 1º encontro deles, numa festinha de garagem promovida por uma conhecida em comum, amiga dela e prima dele. Essa menina, Ceci, era uma garota muito jovem

Retrato de um casamento {5}

Ele, quando criança, era todo gracinha, adorava ser o centro das atenções e de brincar de atuar para o pessoal da família, especialmente, para seu avô que a essa altura da vida, já estava pra lá de Ba

Comments


bottom of page